(11) 4586-1129

A Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e região

Diretoria Executiva

Paulo Mendonça

Presidente

Zilda Naves

Vice Presidente

Fé Juncal

Secretária de Finanças

Ivone Martins Juncal

Secretária de Assuntos Jurídicos

Rosângela Ciampi

Secretária Geral

Jorge Favacho

Secretário de Políticas Sociais

Leonildo Silva

Secretário de Patrimônio e Gestão

Diretores Suplentes

Antônio Cortezani

Roberto Rodrigues

Delma Nonato

Luiz Antonio Bandini

José Vitor Machado Roberto Rodrigues

Títulares do Conselho Fiscal

Sonia Soares Pinto Vieira

Marli Serra

Odete Souza

Conselho Fiscal Suplente

Elza Cuqui

Cesar Luiz dos Santos

Therezinha Ometto

Nossa História

A Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região, referência na luta pelos direitos da categoria em todo o País, começou sua trajetória em 1979, com sua fundação. Ao longo dos anos destacou-se pela mobilização de diferentes categorias, num movimento unificado contra as reformas, especialmente a Reforma da Previdência, pela manutenção dos direitos, lembrando que os mais prejudicados são os idosos e as mulheres. O histórico da Associação é marcado pelo seu engajamento em causas nacionais e no cenário político local e regional.

1979 a 1990

1979 a 1990 – No início do governo de João Baptista Figueiredo, a sociedade civil começava a se reorganizar. Com o arrocho salarial e a recessão econômica, os aposentados e pensionistas intensificaram sua luta por uma vida mais digna. A Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região surgiu a partir de um grupo de aposentados integrantes do Núcleo Municipal de Jundiaí, da União dos Aposentados e Pensionistas do Brasil (UAPB), sediada em São Paulo. No dia 13 de maio de 1979, um domingo “Dia das Mães”, uma assembleia realizada na sede do Sindicato dos Mestres e Contramestres das Indústrias de Fiação e Tecelagem de Jundiaí, com a participação de aproximadamente 200 aposentados e pensionistas, optou pela fundação da Associação. João Duran fez parte da primeira diretoria, enquanto o sócio número 1 foi Reynaldo Riva.

1990 a 2000

1990 a 2000 – A luta pelos 147% – Em março de 1990 ocorreu o confisco das cadernetas de poupança, no governo Collor, que afetou de forma direta e imediata a vida de aposentados, pensionistas e trabalhadores. O governo Collor foi, desde o início, contrário às conquistas sociais asseguradas na Constituição de 1988. Mais uma vez, os aposentados e pensionistas se mobilizaram e conseguiram derrotar o governo. A luta pelo reajuste de 147% sobre os vencimentos foi histórica.

Nascida em berço da ditadura, se fez forte, construiu patrimônio, respeito e “nome”, como dizem os “antigos”. Trouxe dignidade na vida de muitos aposentados, recuperando perdas salariais, trabalho dedicado e compromisso do finado Dr. Agnaldo Bastos, advogado e jurista respeitável em Jundiaí. Passadas três décadas e 9 anos, a Associação acumula muitas história, coragem e valentia através de seus dirigentes e muitos associados.

Década de 90

Em meados da década de 90, com o presidente Antonio Galdino, destacaram-se movimentos em defesa da Previdência Social pública, contra a sua privatização, além da conquista dos 42,86% de reajuste sobre os vencimentos e um trabalho vigoroso de recuperação das perdas salariais entre 1989 e 1994, de 115%.

Vitórias

Vitórias – Os processos na Justiça foram de grande importância para a consolidação da AAPJR. Até 1995, foram 4.500 processos vitoriosos e pagos.

Participação das mulheres

As mulheres tiveram participação relevante na trajetória da AAPJR. Entre elas Yolanda Mello e Terezinha Ometto, pelas mãos das quais passaram milhares de processos relativos às diferenças salariais. Em 1991 passaram a integrar a diretoria da Associação.

Uma nova Associação Sem fronteiras

A primeira sede própria da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região ficava na Vila Argos. Posteriormente, em 19 DE MARÇO DE 2005 foi inaugurada a sede oficial e atual, com o presidente Antonio Galdino e o vice Leonísio Fontebasso.

Fé Juncal

A primeira mulher e atual presidente, Fé Juncal, bancária aposentada, iniciou seu mandato em 2015. Em 2020 foi reeleita para mais 04 anos, até 2024. A vitória foi uma conquista marcante na militância feminina junto ao movimento dos aposentados e pensionistas. Nos últimos anos intensificaram-se as lutas e mobilizações contras as reformas, tanto da Previdência como a Trabalhista.

“O desafio está em suceder Antonio Galdino nas questões políticas, apesar de não ter essa pretensão. Toda vida política do Galdino foi construída sobre muitos momentos sociais e políticas. Desde 2015, o Brasil vem passando por turbulências na políticas econômicas sociais e, nesse momento vivemos a maior crise sanitária com a pandemia por Covid-19 que afeta diretamente a pessoa idosa e também o trabalhador, enfim o brasileiro. Um futuro que está chegando rápido com exclusão social evidenciada,o aumento da desigualdade social aponta a atual diretoria da AAPJR.

HERANÇA PATRIMONIAL

É essa herança política e patrimonial que a primeira mulher que ocupa a liderança da Associação dos Aposentados Jundiaí tem a cumprir, juntamente com a diretoria. Na atual gestão há mais 09 mulheres dirigentes: Fé Juncal, Zilda Naves, Elza Cuqui,Terezinha Ometto, Rosangela Ciampi, Maria Delma Nonato, Sonia Vieira, Maria Ap Betelli e Maria de Jesus(Nena). Referência também aos líderes Marcos Tebom, Paulo Mendonça, Leonildo (Veludo), Antonio Cortezani, Jorge Luiz Favacho, Antonio Gomes Pina(in memorian), Idylio Bronzeri, Cid de Jesus Tavares(in memorian), Geraldo L Costa.

O que a liderança construiu nessa gestão:

PATRIMÔNIO

Executou projeto de reforma nos 300 metros quadrados do salão social envolvendo a elaboração de novo projeto técnico do Prédio para atendimento das exigências de Segurança das Normas do Corpo de Bombeiro, troca e instalação de equipamentos de segurança patrimonial, sistema elétrico e pintura interna do salão.

JURÍDICO

Implantação do plantão semanal de advogados previdenciário e cível para os associados.

SAÚDE

Implantação de serviços de Psicologia e Acupuntura. Para os associados também foi implantada a realização de exame de colesterol e diabetes com laudo médico, diferenciando o trabalho em comparação a anos anteriores, quando eram feitos testes.

CULTURA

Foi resgatada a raiz da música através da Oficina de Viola Caipira, como contrapartida do Mestre Corvo Campeiro, com a formação da primeira Orquestra de Viola Caipira da Associação dos Aposentados. Implantação de novas Oficinas como a Pintura em Tela e Desenho em Caricatura. No Concurso do Livro de Poesias “Desperte o Poeta que Existe em Você” implantação em 2016 do projeto “Aproximação das Idades” com concurso da Capa do Livro com alunos de Escolas Públicas do Ensino Fundamental.

AÇÃO – ASSOCIAÇÃO SEM FRONTEIRA

Desde 2016 Associação atua no atendimento de pessoas idosas, adultos e jovens com orientações sobre os direitos previdenciários e a forma correta de alcança-los. É protagonista na formação do Movimento Sindical Unificado de Jundiaí e Região para o debate e luta na defesa das políticas do bem-estar-social Seguridade Social e do Trabalho Digno. A aproximação da comunidade do entorno da Associação dos Aposentados passou nessa gestão desafio e meta permanente com ações diversificada. Em 2017 buscou a Diocese de Jundiaí para falar sobre a Reforma da Previdência e a iminência da perda de direitos dos idosos.

POLÍTICAS PÚBLICAS

A Associação dos Aposentados participa do Conselho Municipal da Pessoa Idosa para o cumprimento do Estatuto do Idoso. Protocolou documento solicitando decisão rápida a Câmara de Vereadores e Administração Municipal Prefeitura de Jundiaí para implantação da política de gratuidade do transporte público a partir de 60 anos e implantação do IPTU progressivo para os Aposentados “Quem ganha menos paga menos”.

Movimento dos Aposentados

Participação permanente nas mobilizações nas ruas e nas redes, nos debates com a Federação e Confederação dos Aposentados, faz coleta de assinaturas nas feiras livres, faz acontecer os encontros Associação nos Bairros para falar com o aposentado e população. Com a eminência da retirada de direitos previstos na Reforma da Previdência Social, as ações de lutas da Associação dos Aposentados são fortes e permanente. Participou em 2016, 2017 e 2018 de Movimentos e Passeatas realizadas em SP Capital e Cidades do Interior. Julho de 2016, no Dia do Enfrentamento à Violência Contra a Pessoa Idosa Associação realizou um Ato em defesa da Previdência, em frente a agência do INSS Jundiaí.

21.10.2016

Dia 21.10.2016 a Associação dos Aposentados foi para as ruas mostrar que os aposentados não se curvam diante da retirada de direitos. Na pauta de luta a volta do Ministério da Previdência, Não a PEC 241 – Teto dos Gastos que levou 20 anos de congelamento das Verbas da Saúde, Não a Reforma Previdência, Cobrança devedores da Previdência “Grandes setores econômicos”. Maio de 2017 a Associação dos Aposentados declara “Reforma Vai acabar com a Proteção Social ao Idoso”. Após 25 anos pela luta dos 147%, aposentados voltam as ruas contra o desmonte da Previdência. A Associação dos Aposentados conquistou nessa gestão a “cadeira titular” na executiva da Federação dos Aposentados do Estado-FAPESP e na Confederação Brasileira dos Aposentados-COBAP é membro do Conselho.

FORÇA NA RECESSÃO

A AAPJR é uma entidade que se mantém fortalecida e luta pela defesa dos aposentados num momento de recessão. Esse é o cenário político em que os brasileiros vivem, com o risco de perder definitivamente a Previdência Social Pública, o bem-estar social, assegurado pela política da Seguridade Social. Os caminhos do desmonte da seguridade social, apontados acima, desdobram-se em várias trilhas. E a Associação dos Aposentados, através de seus associados e lideranças, luta hoje em meio às mudanças políticas, com a recessão e o arrojo na vida do aposentado, da família e do idoso. O desmonte da Previdência fez com que, em 2016, a Associação chamasse várias lideranças de diferentes categorias de Trabalhadores para o debate e luta coletiva. Assim formou o Movimento Sindical Unificado de Jundiaí. A resposta veio rápido, com ocupação nas ruas de Jundiaí, São Paulo Capital e São José dos Campos. Em Jundiaí, a participação chegou a 5 mil participantes. Nessa nova e permanente história que está sendo escrita, será mais um capítulo dessa entidade que nasceu para lutar e agregou o direito do bem-estar social e cultural de viver. PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES Em 2020 a Associação dos Aposentados mais uma vez é protagonista, elege uma nova diretoria composta por 50% de mulheres e 50% por homens. Desafios para a representatividade feminina, no movimento dos aposentados. No Brasil, em todas as esferas do poder político, as taxas de representatividade das mulheres são muito baixas, embora 51% dos eleitores são mulheres. Em Jundiaí-SP, o eleitorado feminino predomina e, a situação não é diferente. A Associação dos Aposentados rompe esse pragmatismo e escreve na história a presença da mulher trabalhadora aposentada na defesa dos direitos.