(11) 4586-1129

Jundiaí participa de Ato Nacional em defesa do INSS

Movimento acontece em todo o país nesta sexta-feira (14). Em Jundiaí, protestos serão em frente à agência do centro.

Nesta sexta-feira (14), as agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), de todo o país,  serão palco de protestos contra o sucateamento do Instituto e dos demais serviços públicos, promovido pelo governo de Jair Bolsonaro. Os atos estão marcados para acontecer a partir das 9 horas da manhã nas agências centrais de vários estados brasileiros e em cidades do interior.

Em Jundiaí o protesto acontece em frente à agência do INSS da Barão de Jundiaí, no centro da cidade.  A presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e região, Fé Juncal, informa que está conclamando dirigentes e associados da entidade a participarem do ato nacional. ‘’Já são 500 agências no Brasil sendo fechadas e mais de dois milhões de processos aguardando análise. Não podemos nos calar diante de tanta injustiça’’, afirma.

Trabalhadores, aposentados e sindicalistas vão distribuir panfletos mostrando que a atual situação é consequência da falta de investimentos e má gestão do governo Bolsonaro. ”Vamos alertar a população que é preciso exigir a solução imediata dos problemas do INSS. Essa luta é de todos os brasileiros”, diz Fé Juncal. Segundo ela, todas as pessoas têm direito ao serviço público. ”Não só aposentados, mas mães com direito à licença maternidade, pessoas com  problemas de saúde, que  sentem dores, estão afastadas do trabalho e não pode receber durante o tratamento”.

Entre 2016, o quadro de servidores caiu de 33 mil para 23 mil. Os  servidores denunciam  que a atual gestão decidiu colocar funcionários que atendiam o público na retaguarda de trabalhos internos e todo o atendimento que era feito no balcão passou a ser feito por meio do INSS Digital.

“O aumento do desemprego, a desestruturação do mercado de trabalho, com o aumento da informalidade, fará com que o INSS fique ainda mais precário, porque trará menos recursos ao Instituto”, diz Douglas Yamagata, secretário geral do Sindicato dos Bancários de Jundiaí e região.
 Colapso Geral
O sistema do INSS entrou em colapso geral. Filas enormes, tanto virtuais quanto nas agências, têm trazido sofrimento à população com a precariedade dos serviços e trabalhadores sobrecarregados e adoecendo. ‘’É a trágica situação do INSS atualmente’’, afirma Sérgio Nobre, presidente da Cut Nacional. Para ele, a situação do INSS é um exemplo do que vai acontecer em outras áreas, como saúde e educação. “Antes de privatizar, eles desmontam’’.

Trabalhadores X militares

‘’Para tentar amenizar os problemas do INSS, causados também pelo fechamento de agências e a falta de investimentos nos equipamentos, o governo, ao invés de apresentar soluções efetivas, como contratar mais trabalhadores, entre os milhões de desempregados, e realizar concursos públicos, chama militares da reserva para cobrir a falta de funcionários. Esses militares, já aposentados, não estão qualificados para desempenhar as funções do Instituto’’, afirma Nobre.

Trabalhadores e sindicatos de Jundiaí e região em protesto contra o desmonte do INSS

foto de capa: Fé Juncal em ato no centro da cidade em defesa da Previdência Social Pública.